sbado, 23 Mar , 2019
evidencia

ANSIEDADE: SERÁ QUE EU SINTO ISSO?

há 1 ano

“Alta ansiedade” 

Se marco uma entrevista às 2
1:15 já fumei 10 cigarros
Se vou gravar uma faixa
A mesa do estúdio está quebrada
Não sei esperar, não sei esperar
E a minha vida é um engarrafamento
 

Se tenho uma festa às 10
8:30 já estou pronto
Fico balançando os pés
Sentado na beira da cama
O tempo não passa pra mim
Quero mais velocidade
Várias coisas ao mesmo tempo
Não quero esse bonde lento

(Cazuza) 

Querer tudo pra logo, não saber esperar, medo do que irá acontecer, pensamentos acelerados, tudo ao mesmo tempo. Sim, você e todos já experimentaram um momento de ansiedade na vida, sendo isso muito comum, até porque a ansiedade é importante para nossa existência, sem ela nos colocaríamos em muitas situações de risco ou não reagiríamos a eles. A ansiedade é um estado fisiológico, cuja função é preparar o organismo para enfrentar um perigo. Mas é claro, sem causar sofrimento. Já, a ansiedade patológica ocorre quando este estado está desproporcional á situação enfrentada, ou quando ocorre na ausência de um perigo real.

Nem todos conseguem reagir bem diante dos eventos da vida, mesmo sendo os mais corriqueiros e o que percebemos da situação ou pensamos, é o que nos faz agir de forma mais equilibrada ou ansiosa, desencadeando respostas do nosso corpo que nos levam ao sofrimento e a um pior desempenho das atividades diárias, a prejuízos do sono e das relações pessoais.

A ansiedade pode assumir várias formas, desde o medo em falar em público até entrar num elevador ou avião. Outras vezes pode vir repentinamente com sintomas como falta de ar, palpitações, suor frio acarretando um ataque de pânico. E também pode ser de várias intensidades, desde um desconforto passageiro até um medo intenso, mas sendo sempre com pensamentos de que algo ruim vai acontecer mesmo não havendo um perigo real.

Alguns dos sintomas fisiológicos mais comuns são, batimentos cardíacos mais fortes, aperto no peito, sensação de engasgo, tremores, dores de cabeça, tensão muscular, palidez, diarreia, insônia entre muitos outros; e dentre os sintomas psicológicos mais habituais são, sentimentos de medo e preocupações constantes, ideias catastróficas, de perder o controle das situações, de ter uma doença grave, ou de que algo de ruim irá acontecer com alguém da família, além de outros sintomas.

A psicoterapia cognitiva comportamental é uma das maneiras de aprender a lidar com esses pensamentos e a diminuir a ansiedade. O psicólogo irá ensinar o paciente a identificar os pensamentos automáticos em situações de ansiedade e reações físicas, e a partir disto, usar de técnicas de relaxamento e flexibilização cognitiva. O objetivo é que o paciente sinta-se menos ansioso e consiga lidar melhor com essas situações. A psicoterapia vem a ser então, uma das ferramentas muito importantes para tratar a ansiedade, ajudando o paciente a distinguir entre pensamentos, sentimentos e a própria realidade, diminuindo e melhorando os sofrimentos causados por esta.


COLUNISTAS