quarta, 23 Jun , 2021
evidencia

QUEM É ANDREIA NUNES?

há 3 anos

Sou mãe do Felipe, minha razão de viver! Sou uma pessoa muito abençoada por Deus em todos os sentidos. Sou professora de dança do ventre e educadora física, e trabalho em um dos clubes tradicionais da cidade. Procuro usar meu trabalho na dança com o resgate do feminino, pois muitas vezes as mulheres me procuram pra dançar para maridos, namorados e sempre oriento que o intuito da dança do ventre não é para o outro e sim para si mesma.  O resgate do feminino está em você, na procura em se valorizar e se gostar. Olhar para o espelho e dizer “Eu me amo, eu me aprovo”! Essa dança mexe com o ego da mulher, aflora a autoestima, te deixa feminina, inclusive através das roupas e maquiagens e, assim, criando mais uma forma de nos valorizarmos no dia a dia. Eu amo ser a mulher que eu sou!

O que te levou à dança?

Comecei praticando a dança de salão, a qual sou apaixonada até hoje. Fui convidada por amigas para entrar na dança, recusei muitas vezes e dizia que não iria gostar. Elas foram desistindo e eu continuei e já completei meus 10 anos de estudo, fazendo workshops na região, entre elas Campinas, Ribeirão Preto, Araraquara, etc. Com isso fui criando muitas amizades, participando de vários shows e dançando com banda Árabe ao vivo, inclusive com o Cantor da novela o Clone, Tony Mouzayek. A dança é para todas as idades, portanto pretendo envelhecer dançando muito!

 Qual a sua rotina de cuidados com você mesma quanto à pele, cabelo e alimentação?

Sou preguiçosa com cremes, mas gosto de óleos corporais. Não tomo banho de sol e não fico me bronzeando. Além disso, uso protetor solar. Faço massagens duas vez por semana, intercalando com modeladora e drenagem, pois além de ser delicioso, faz bem para o corpo e para a mente. No cabelo faço sempre uma hidratação e evito produtos químicos. Eu faço meu cardápio variando com comidas integrais e uma alimentação que acelere meu metabolismo, como, por exemplo, água com gengibre e limão; pimenta vermelha e canela, enfim, tudo que estimule o organismo a queimar calorias. Mas, oriento que cada pessoa deve procure o seu nutricionista antes de fazer qualquer dieta.

Quais são suas dicas para as mulheres que não gostam de se exercitar?

A dica principal é a consciência que você precisa cuidar de você, e, quando começar, persista! Nem que seja uma simples caminhada, fazer exercícios ao ar livre ou pedalar. Além da dança, pratico ciclismo. Pedalar é uma atividade gostosa, que oferece inúmeros benefícios à saúde, como, por exemplo, a sensação de bem-estar, além disso, possibilita conhecer novos lugares, lindas paisagens e estar em contato com a natureza.

Também sou professora de alongamento e incluo meditação nas aulas. O treinamento mental tem o intuito de “educar” a mente, isto é, desenvolver e aprimorar habilidades para lidar melhor com as emoções e conviver melhor consigo mesmo. Porém, antes de iniciar qualquer atividade física recomendo que procure um educador físico qualificado, com formação acadêmica e registrado no CREF. 

Que mensagem deixaria aos nossos leitores?

Trechos do saudoso Charles Chaplin!

Quando me amei de verdade compreendi que em qualquer circunstância eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato”. E, então, pude relaxar. Hoje sei que isso se chama “Autoestima”.

Quando me amei de verdade comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que isso se chama “Respeito”.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável: Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que isso se chama “Amor próprio”.

Quando me amei de verdade desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei menos vezes. Hoje descobri a “Humildade”.  Namastê!

Fotos: Maria Luisa Photos


COLUNISTAS