sbado, 23 Mar , 2019
evidencia

CRIAR UM FILHO PODE CUSTAR MAIS DE R$ 1 MILHÃO

há 1 ano

Ter filhos é o sonho de muitas pessoas, mas bem poucas se lembram de planejar as finanças da casa com antecedência para a chegada dos herdeiros. O gasto de uma família de classe média com uma criança pode ultrapassar R$ 1 milhão em 24 anos, que é o tempo que normalmente um filho leva para sair da faculdade. Considerando um gasto médio mensal de R$ 2.000 por mês dos 0 aos 24 anos, o resultado é um gasto de R$ 1.175.128 no período. Assim podemos concluir que uma família de classe média não gasta menos de R$ 400 mil até o filho ficar adulto. Se for uma família de classe mais alta, os gastos podem facilmente ultrapassar os R$ 2 milhões. 

Vamos listar algumas ações que podem ajudar a planejar as finanças para a chegada do pequeno:

  • Avalie a situação financeira antes de começar a pensar em ter o bebê: é preciso avaliar as finanças da casa e fazer o orçamento doméstico. O primeiro passo é anotar todos os gastos da família durante um mês para saber o quanto entra de renda e para onde está indo o dinheiro. Esses gastos podem ser anotados em planilhas ou podem ser utilizados aplicativos para controle das contas. 
  • Repense o estilo de vida: os solteiros têm um padrão de gastos muito diferente de um casal com filhos. Solteiros costumam gastar mais em diversão, restaurantes e viagens. É preciso repensar esses gastos que vão fazer muita falta na criação de um filho. Isso não significa parar de se divertir, mas adaptar os gastos para que possa haver uma capacidade maior de poupança. 
  • Comece uma poupança: toda família deve ter uma reserva financeira, que idealmente deve ser um valor que cubra todas as despesas da família de seis meses a um ano. Esse dinheiro deve estar investido em uma aplicação de grande liquidez (facilidade de sacar em dinheiro vivo), como Tesouro Direto, poupança, fundos DI e CDBs de liquidez diária. 
  • Faça um plano de saúde: se pretende usar o serviço público de saúde, pule essa etapa. Mas se deseja ter acesso ao serviço privado de saúde, então é bom pensar com antecedência no assunto. Segundo as normas da ANS (Associação Nacional de Saúde), a carência para partos, excluídos os partos prematuros ou decorrentes de complicações no processo, é de 300 dias, ou dez meses. Assim, é preciso contratar um plano com antecedência caso deseje engravidar. E atenção: assim que a criança nasce ou é adotada, é preciso inscrevê-la no plano de saúde no prazo de 30 dias do parto ou da adoção para que ela não tenha de cumprir carências. 

Caros leitores, o que foi explanado acima é apenas uma parte da linda jornada que é criar um filho. A finança é uma parte relevante na criação, mas não a única nem a mais importante. Os bens mais valiosos que temos são o nosso tempo e amor, os quais devemos desprender para os nossos seres mais amados.

Forte abraço até mês que vem Companheiro Dinheiro!


COLUNISTAS